Ir para a página principal

A História do Botequim Informal


Sabe papo de botequim em final de noite? Durante uma conversa de bar, mil assuntos são abordados. Criam-se teses filosóficas, poesias cegas, promessas de encontros com uma turma do passado, projetos de vida, nascem grandes amores...  A expressão virou gíria de carioca: “isso não passa de papo de botequim”. Acontece que mesmo sendo um estereótipo, muitas vezes desses papos surgem grandes idéias, negócios consolidados, campanhas publicitárias criadas, músicas compostas, enfim, um universo de idéias que extrapolam a simples filosofia de bar.
É o caso do Botequim Informal. A história parece mais um conto sobre personagens boêmios do Leblon, com assuntos sobre peladas/futebol, praia e bares, em que amigos, ao terminar uma partida de futebol, saíam juntos para beber um chope em algum boteco. Como as opções foram ficando cada vez mais escassas, entre uma conversa e outra, resolveram montar seu próprio botequim e o nome, não poderia ser outro: Informal! Para ser um local simpático, perceberam que teriam que ter um bom chopp gelado e cremoso, petiscos gostosos, sem aquele aspecto gorduroso dos balcões dos tradicionais pés sujos, e um banheiro limpo para poderem levar as namoradas/mulheres. Para começar, importaram para o Rio o estilo do chope alemão, que tem como diferencial uma espuma densa e cremosa por cima, prepararam um cardápio de petiscos, comidinhas e acepipes de balcão. O resultado? Sucesso absoluto...
O Botequim Informal é um dos bares mais procurados pelos cariocas. Iniciou no Leblon, abriu a segunda casa no mesmo bairro e alguns anos após, abriu a terceira casa na Barra, chegaram a Ipanema, seguindo para lugares como, Niterói, Botafogo, entre outros.
Com a expansão da empresa, os três sócios transformaram a marca Informal na maior rede de botequins pés-limpos do Rio de Janeiro, arrebatando prêmios na imprensa carioca. Hoje, são diversos endereços espalhados pelos melhores pontos da cidade. Através do modelo de franquia, eles continuam expandindo o negócio, a cada dia, com a mesma paixão, o mesmo carinho e o mesmo papo informal.